terça-feira, 19 de junho de 2018

INFORMAÇÃO

INFORMO OS ESTIMADOS LEITORES/SEGUIDORES DESDE MEU BLOGUE "Gardião da Ilha" QUE A PARTIR DE JUNHO 2018 PASSAREI A PUBLICAR NUM NOVO BLOGUE INTITULADO "GUARDIÃO DA ILHA VERDE"  (guardiãodailhaverde.blogspot.com )ISTO POR HAVER MUITOS INTITULADOS COM O MESMO NOME DO ACTUAL BLOGUE.   SENDO QUE O ACTUAL FICARÁ APENAS COMO ARQUIVO. 
MAIS INFORMO QUE O NOVO BLOGUE "GUARDIÃO DA ILHA VERDE" PRETENDE DAR UM NOVO VISUAL COM  NOVAS PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS ENTRE AS QUAIS PUBLICAREI UM ROMANCE COM MAIS DE 100 ANOS, TAL COMO ERAM PUBLICADAS AS ANTIGAS RADIO-NOVELAS.
OBRIGADO PELA VOSSA ATENÇÃO E CONTO CONVOSCO. 
Juvenal Rodrigues


quarta-feira, 9 de maio de 2018

A MAIS ALTA CONDECORAÇÃO

Os senhores deputados do PSD-M na Assembleia Regional resolveram propor uma condecoração ao Dr Jardim no dia 4 de Junho atribuindo-lhe o Cordão Autonómico, a mais alta condecoração Regional. Seria possível, senhores deputados, atribuir-lhe apenas metade do cordão por aquilo que ele fez de positivo pela Madeira e colocar a outra metade num busto bem no centro da cidade com aquilo que ele fez de mal? No busto, gravado a pechisbeque, a seguinte alocução “homenagem ao único importante da Região Autónoma da Madeira” Um homem que sempre virou costas à Assembleia Legislativa, que a apelidou de casa de loucos, que raramente punha lá os pés enquanto Presidente do Governo Regional e que sempre tratou com desprezo os deputados eleitos pelo povo, vê agora o seu défice democrático premiado por esses mesmos deputados quase como a dizer-lhe que ele afinal não andou longe da verdade. Se eu fosse deputado na ALM justificaria o meu voto contra com uma declaração de voto: votei contra porque tenho dúvidas, e sempre as terei, se outro governante no lugar do dr Jardim teria feito mais e melhor pela Madeira dentro da legalidade e do respeito pelo sistema democrático. Sempre fui um acérrimo opositor ao Dr. Jardim enquanto político mas não é por isso que sou frontalmente contra esta condecoração. Em primeiro lugar porque aqueles que agora manifestam um lamentável lapso de memória esqueceram que ele, enquanto homem, foi sempre uma figura arrogante, prepotente, arruaceiro, mal educado e desestabilizador da democracia. Segundo porque enquanto político tentou achincalhar todos os seus adversários políticos, humilhou o povo madeirense tratando-os por cachorros e ainda deixou uma dívida escondida de 1.200 milhões que empenhou a tal autonomia que ele, em abstrato, defendia. Terceiro, nunca respeitou a Revolução de Abril mesmo ciente de que só ela lhe permitiu 37 anos de Presidente do Governo Regional, ou seja, cuspiu no prato que lhe serviram a sopa. Não fora o 25 de Abril e Jardim teria sido sempre uma figura medíocre e intratável da sociedade madeirense. Não lhe invejo a condecoração mas lamento já que ela deveria ser atribuída a quem a merecesse por inteiro e não por metade. No seu estilo peculiar (ar de gozo) o Dr. Jardim deve estar a rir-se dos patinhos feios e ingénuos que irão pôr-lhe o cordão ao pescoço. Está a beneficiar agora da tolerância que ele nunca praticou
Juvenal Rodrigues

domingo, 29 de abril de 2018

IMORALIDADE, GANÂNCIA E INCOMPETÊNCIA

Imoralidade, ganância e incompetência

27 ABR 2018 / 02:00 H.




Incompetências

São tantos os casos de incompetência, imoralidade e ambição de poder que o mais difícil mesmo é saber por onde começar.
Os Bancos quando apresentam resultados financeiros positivos dividem pelos acionistas, quando os resultados são negativos dividem-nos pelos clientes e pelos contribuintes. Por muito que os Governos expliquem (enrolem) não conseguimos perceber como é que em 10 anos, entre 2007 e 2017, os apoios concedidos à Banca totalizaram 17 mil milhões de euros, sendo que, à conta disto, Portugal teve um saldo negativo de 9.1 % no PIB e um total acumulado de 12,3% do PIB na dívida pública. Como prémio os gestores bancários aposentam-se com chorudas pensões. Por muito que nos sacrifiquem não há impostos que aguentem este descalabro.
Subsídios imorais
Os subsídios das viagens dos deputados insulares, na A. da República revela-se uma novela onde os protagonistas tentam interpretar o guião à sua maneira mas nenhum consegue explicar a falta de moral daqueles que o povo elegeu para defender a moralidade de uma causa nobre, a política. Na verdade não são apenas os deputados os culpados já que a Assembleia da República e as Assembleias Regionais também são coniventes. Vamos por partes, a A. da República legisla e depois são os deputados que votam as propostas os quais sabem que irão, mais tarde, ser beneficiados por elas. Com o Estatuto Politico Administrativo das regiões autónomas passa-se a mesma coisa conferindo aos deputados a faculdade de serem juízes em causa própria sem estarem sujeitos à fiscalização das leis gerais do trabalho regendo-se apenas pelo seu próprio Estatuto cujo limite é a Constituição . Só assim se compreende que nunca apareçam culpados para estes casos de promiscuidade e falta de pudor que só agora foi descoberto mas há muitos anos que é praticado. Só assim se compreende que altos cargos políticos do país se escudem no Tribunal Constitucional para justificar a moral de uma enorme imoralidade que salta à vista do comum cidadão. Pergunta-se; quem julgará esta pouca vergonha, quais serão as consequências por esta prática imoral durante todos estes anos? Como sempre não haverá culpados, estão todos protegidos pela alínea “Y” do artigo “X” das leis deste país tão condescendentes com os fortes mas extremamente severas com os fracos.
Ganância das companhias aéreas
As companhias aéreas TAP, EasyJet e Transávia que asseguram a nossa tão badalada mobilidade entre a Madeira e o Continente decidiram, este mês, mostrar-nos a sua força mandando os ilhéus às urtigas como que a mostrar que temos que andar pianinho porque os aviões são deles e a nós cabe-nos apenas pagar os vergonhosos preços das passagens. Deixaram os passageiros sem voos, sem alojamento e sem explicações durante vários dias com todas as consequências negativas que isso acarretou mas até hoje não deram uma justificação plausível nem, que eu saiba, assumiram responsabilidades. Juro que nunca percebi, e continuo a não perceber que sendo o Governo o maior acionista da TAP com 50% do capital nem sequer tem autoridade para impor que a linha entre as regiões autónomas sejam reguladas pelo Estado para acabar com esta roubalheira. Quer dizer o Estado tem 50% da companhia, certamente injecta capital quando necessário e depois gasta 50 ou 60 milhões/ano a subsidiar as passagens dos ilhéus. Negócios destes são mesmo difíceis de entender. Por sua vez Dr. Albuquerque afirma que os madeirenses nunca viajaram tanto e tão barato mas esquece-se que os milhões de subsídios pagos às transportadoras saem dos contribuintes mesmo aqueles que não viajam. Estou certo que mesmo que entrem mais 2ou 3 concorrentes na linha Continente/ Madeira, enquanto as transportadoras chuparem na mama do subsidio, os preços dos bilhetes nunca irão baixar já que os disparatados aumentos nas épocas altas é apenas uma justificação rasca e sem cabimento. Sem subsídios julgo que apenas uma ínfima parte dos madeirenses teriam posses de ir a Lisboa e ai queria ver se as companhias iriam manter os preços a 400/500 euros para os aviões andarem vazios.
A Madeireira será o que os madeirenses quiserem
Após reler o que acabo de escrever veio-me à memória a célebre frase do Dr. Jardim nos seus tempos áureos, “a Madeira será o que os madeirenses quiserem. Ele deve estar agora em tempo de reflexão e já percebeu que, perante tanta incompetência e falta de honestidade política, a Madeira nunca será o que os madeirenses quiserem mas sim o que os políticos e os grandes “lobbys” ditarem, desde prisioneiros na ilha por companhias aéreas sem escrúpulos e reféns dos poderosos interesses económicos até à “novela” do novo hospital que até agora apenas tem servido para esgrimir argumentos políticos sem resultados práticos.
Piadas inusitadas
Muito haverá para comentar mas, por agora, deixo-vos com uma piada inusitada do Sr. Presidente do Governo Regional ao afirmar à comunicação social que se não fossem os nossos profissionais de saúde a trabalhar no Reino Unido o sistema de saúde britânico entrava em colapso. Para quem não sabe o peso da mão d’obra dos enfermeiros portugueses no Reino Unido é de 1,7 % ante uma esmagadora maioria de 84% dos britânicos. Piadas!IMORALIDADES

segunda-feira, 2 de abril de 2018

O "LARANJAL" EM POLVOROSA

Torna-se inviável contratualizar charters por 30.000 euros, os quais a dividir por 165 lugares dá 182 euros por bilhete

29 MAR 2018 / 02:00 H.


Esquerdas unidas
Entrou em moda uma nova arma de arremesso, as “esquerdas unidas”. Foi Assunção Cristas no Congresso do CDS foi, recentemente, Miguel Albuquerque e são alguns “opinion makers” já a pensar nos prometidos tachos do psd-M, a afirmar que há um cerco das esquerdas para tomar o poder na Madeira. Meu Deus que coisa mais ridícula, já assisto a esta paranoia há 43 anos que até já cansa. Apesar de faltar um ano e meio para as legislativas regionais o pânico instalou-se com receio de perderem as mordomias. Até 2019 os madeirenses vão ser bombardeados com a fábula do inimigo externo que nos quer roubar a autonomia. Será que pensam que estão a governar um sanatório com doentes de alzheimer que já não se lembram de nada? Será que estão mesmo convencidos que se não for o PSD-M já ninguém tem capacidade para governar a Região a não ser a partir de Lisboa? Que pobreza de argumentos! Este Governo Regional, que falhou em toda a linha, descaradamente pergunta se os madeirenses e porto-santenses querem manter a sua autonomia. Por amor da santa, mas o que será que esta gente anda a tomar para estarem tão alucinados? Tiveram 42 anos para mostrar o que valiam e agora com esta renovação foi pior a emenda que o soneto. Pensam que os madeirenses não se aperceberam que a partir de 2017 as Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia que se libertaram das garras do PSD passaram a ser melhor governadas inclusive saneando a dívida que os autarcas “laranja” deixaram e hoje gozam de uma melhor saúde financeira, social e política? Isso sim com uma boa governação é que se consegue manter a autonomia! No fundo o GR abdicou de governar para mendigar milhões da República e milhões da UE. Sabendo que o maior problema dos governos é falta de dinheiro se nos pagassem as contas qualquer um saberia governar.
Charter uma não solução
Este remendo chamado charter encontrado para os estudantes irá, no futuro, dar muitas dores de cabeça já que os estudantes no Norte e no Sul do país irão, legitimamente, reivindicar medidas iguais todos os anos seja na Páscoa, no Verão ou no Natal a não ser que, como prevejo, o GR resolverá o anacrónico problema do subsídio de transporte até às eleições de 2019.
Torna-se inviável contratualizar charters por 30.000 euros, os quais a dividir por 165 lugares dá 182 euros por bilhete ainda muito acima dos preços praticados, pela TAP para outros destinos. Já agora, entre algumas sugestões que nesta pagina deixei como por exemplo, operações com aviões maiores na linha Madeira/Continente ou parceria com a SATA, aqui fica outra, porque não encetar negociações com a TAP no sentido de liberalizar as linhas para os outros destinos menos as linha Madeira e Açores a fim do Governo poder assegurar a tão badalada continuidade territorial? Em vez de “guerras” estúpidas com Lisboa porque é que o GR ainda não apresentou propostas nesse sentido? Afinal o Governo é sócio da TAP e poderia, no mínimo, usufruir desse benefício já que são linhas internas que pouco contam nos lucros globais da TAP! Ou será que contam?
Um ferry a meter água
Este ferry ainda não navega mas já mete água por todos os lados estando prestes a afundar-se no mar do esquecimento já que o GR não tem solução. Toda a gente já percebeu que uma operação ferry apenas entre Continente e Madeira é pouco viável já que acarretaria custos insuportáveis para a Região. Então porque não encetar estudos de viabilização económica no sentido de uma operação marítima entre Madeira/Açores/ Continente/Canárias movimentando maior afluência de passageiros e de carga? Se calhar estou a dizer um disparate mas a verdade é que não vejo nenhum armador interessar-se pela linha desde não seja rentável. Apenas o dinheiro faz “milagres!
100€ de bananas
Custa-me perceber que os nossos lavradores, fruticultores ou viticultores, dado as pobres condições em que trabalham, mereçam apenas uma “esmola” de 100€ do GR mas o que me deixa mesmo confuso é que as Casas do Povo aufiram 25% (25€) desse valor para compra de votos... perdão queria dizer para subsídio, apenas para servirem de intermediários na sua distribuição quando as Câmaras Municipais ou Juntas de Freguesia, por serem o poder eleito, mais próximo dos agricultores estariam aptas a desempenhar esse papel sem custos adicionais. Assim já se compreende como é que a Região já gasta 20 milhões de euros/ano com as IPSS nas quais se inclui as C. do Povo bem como fundações e outras ligadas a Igreja, entre as quais, meia dezena, já estão indiciadas de irregularidades.
E segue o regabofe com a investigação do OLAF à Unidade de Medicina Nuclear que foi inaugurada em 2013 e só começou a funcionar parcialmente em 2017.
Inoperacionalidade do Aeroporto
Senhor Governo, antes que seja tarde é urgente, urgentíssimo, pensar que a inoperacionalidade do aeroporto da Madeira pode trazer problemas graves para o futuro desta ilha, que vive essencialmente do turismo, se não começarmos a pensar seriamente numa alternativa. Após estes dois meses de condicionalismos impostos pelo vento deu para perceber que o aviso é sério. Não deixem morrer a galinha dos ovos de ouro e depois, como sói dizer-se, chorar o leite derramado.
E os nomeados do Governo Regional são
Desde que este executivo tomou posse já fez, segundo a “má língua”, 760 nomeações mas o GR diz que foram apenas 181. Uma das calculadoras deve estar avariada, mas isto é de somenos importância, o importante é que estes colaboradores irão trabalhar “sem horário definido” como aventou o Vice do Governo ou então, “irão para o olho da rua”
A cereja no topo do bolo
M.Albuquerque na tentativa de reconquistar uma franja do eleitorado de A.J.Jardim vem agora condecora-lo com o Cordão Autonómico de Distinção, exatamente a autonomia que ele empenhou aquando da dívida escondida que obrigou a assinatura do PAEF e colocou um garrote financeiro à Região

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

CONFRANGEDORA VITIMIZAÇÃO

O Governo Regional e o seus incondicionais deputados na ALM entraram em devaneios com o “puxão de orelhas” do Primeiro Ministro ao Presidente do G.Regional. Aproxima-se 2019 e o PSD-M vendo o poder esvair-se entrou num frenético rodopio culpando Lisboa (como nos tempos do Chão da Lagoa) de tudo o que acontece na Madeira mas tentando uma demagogia baixa e reles de vitimar os madeirenses e porto-satenses quando na verdade o “puxão de orelhas” foi apenas para o sr governo regional que desde sempre esbanjou os recursos financeiros da região até acumular uma divida escondida, mais a pública, de cerca de 7 mil milhões de euros. Portanto os madeirenses não entenderão isto como uma repreensão à população mas sim ao governo e senhores deputados do PSD-M na ALR que desde sempre foram coniventes com a má governação. É execrável que mais uma vez usem os madeirenses como arma de arremesso para limpar a imagem que ficou indelevelmente manchada pelas loucuras dos sucessivos governos do PSD-M. Não tive acesso aos números que deram origem a esta “tempestade”e parece que poucos procuraram informar-se para discutirem com base em dados concretos na praça pública. Não obstante, dado o historial negro da dívida da região não me choca acreditar nas contas de Lisboa. Um senhor deputado da ALR que já ninguém leva a serio, fazendo um triste papel de virgem ofendida, chegou ao ridículo de pedir a demissão do Primeiro Ministro mas nunca os ouvi pedir a demissão de A.J.Jardim quando ofendeu as forças armadas portugueses, ofendeu todos os governos da República incluindo os do seu partido, tratou a ALR como uma casa de loucos, injuriou os madeirenses tratando-os abaixo de cachorros e deixou uma dívida escondida de 1.100 milhões! Esse e outros deputados “laranja” alguma vez ousaram sequer levantar os olhos ou a voz para contrariar o grande líder? Se são tão púdicos defensores dos madeirenses porque não ousaram pedir a demissão do Dr Jardim? É ignóbil que tentem, mais uma vez, ludibriar-nos passando para o povo aquilo que é unicamente da responsabilidade do G.R. que sempre nos desgovernou, quer com o UI, quer agora com uns “renovadinhos” que muito prometem mas não renovam nada. O povo não é burro e já não se deixa manipular com ladainhas de vitimização. O povo sabe que, dos Governos que passaram pela República, os melhores para a Madeira foram os do PS mesmo quando António Guetrres, em 1998, pagou a dívida da Madeira no valor de 110 milhões de contos para logo a seguir o dr. Jardim duplicar novamente a dívida da região. O desespero é de tal ordem que até chegaram ao cúmulo de inventar que A.Costa quer virar portugueses contra portugueses talvez lembrando-se da triste memória de A.J.Jardim a tentar acicatar ódios entre os madeirenses que eram do PSD-M e os outros. Tentem outras artimanhas porque essas já têm barbas com 40 anos.
Juvenal Rodrigues

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

ESQUIZOFRENIA OU RAIVA?

Embora goste de desporto, em particular futebol, não costumo opinar sobre ele dado que vejo nisto um negócio de milhões, um fanatismo exacerbado e gente completamente alienada, insensata e sem raciocínio próprio. Isto não é, e jamais será desporto pelo desporto. Sobre isto apenas digo que é um perfeito disparate as avultadas verbas envolvidas e uma afronta face à pungente miséria que existe no Mundo. Todavia hoje vou abrir uma exceção face às recentes notícias sobre a A.Geral do Sporting Clube Portugal onde as declarações do seu presidente, Bruno Carvalho, não deixam ninguém indiferente. Até mesmo um morto levantar-se-ia do túmulo para comentar estas declarações completamente estapafúrdias e alienadas da realidade. Será que alguém se esqueceu de fechar a porta do hospital “Júlio de Matos? O homem pede para os sócios não verem televisão e julgo que até as crianças sportinguistas estarão proibidas de ver o canal panda, pede para fazerem um boicote à C.Social e logo os sócios começam a agredir jornalistas, exige aos comentadores que não comentem, diz para odiarem o vermelho... Mas que raio de fanatismo ou paixão clubística leva estes seres humanos a se deixarem manipular, qual rebanho de ovelhas, por este figurão cujo comportamento e imagem denota ódio, vingança e raiva. Parece-me que o homem não quer saber dos resultados desportivos para nada, apenas usa o SCP para guerras com os seus adversários, com os árbitros com a Liga de Futebol e com tudo. Pergunto; que tal se fosse toda a C.Social a fazer um boicote ao SCP ? O que faria B.Carvalho sem pio e sem visibilidade? Como apelaria aos boicotes e à arruaça? Por amor da santa, metam este homem num colete de forças antes que faça estragos irreversíveis!Não consigo dissociar este B.Cavalho de Donald Trump, Kim Jong-Un ou de Nicolas Maduro que manipulou o povo venezuelano até pô-los a pão e água. Infelizmente estes casos não acontecem apenas no futebol, na política também existe alguns políticos mesmo depois de condenados pelos tribunais ainda são eleitos por pessoas ignorantes sem lucidez para escolher pessoas capazes e honestas. Como sói dizer-se, o povo tem o que merece mas depois queixam-se dos corruptos, dos ladrões e dos aldrabões.
Enquanto houver homens (com h minúsculo) à frete de instiruições ou governos o Mundo jamais terá paz e sossego.
Juvenal Rodrigues

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

UM POUCO DE HISTÓRIA Stª ;Maria Maior, Funchal

Santa Maria Maior, Funchal

Este foi o meu contributo para o “Diario das freguesias” da iniciativa do DN Funchal, publicado em 23 de Fevereiro de 2018

UM POUCO DE HISTÓRIA.

Nesta louvável iniciativa do sempre inovador D. Noticias, Madeira pensei que nada melhor para começar do que um pouco de história sobre a minha freguesia.
Santa Maria Maior é a mais antiga Freguesia da Ilha da Madeira e data do ano 1425.
Foi nela que se geminou o 1º Bairro populacional construido pelos portugueses fora do território continental e até do Continente europeu.

Foi aqui que nasceu o 1º povoamento português do além mar e foi ainda em Stª Maria Maior que se deu início à cidade do Funchal, capital madeirense.
Começou aqui a construir-se os primeiros alicerces que viriam, mais tarde, a dar sustentação ao desenvolvimento que a Madeira foi registando ao longo dos séculos.
Santa Maria Maior é assim um marco indelével na histórica expansão de Portugal no Mundo

Atualmente, pelos censos de 2011, Stª Maria Maior é considerada a 3ª maior Freguesia com uma população de 13.352 habitantes, sendo a 2ª maior a Freguesia de S.Martinho com 26.482 e a primeira, a Freguesia de Stº António com 27.383 habitantes. Mas o que muita pessoas desconhecem é que Stª Maria Maior no ano de 1864 era a maior Freguesia com uma população de 4.444 habitantes sendo Stº António a segunda com 4.376 e S.Martinho era a terceira com 3.061 habitantes.

A área geográfica abrange 4.88 Km2 e vai do mar à serra. O seu nome primitivo era Nossa Senhora do Calhau por ser edificada junto à orla marítima composta por praias de calhau sendo a sua população socialmente dominada por artesãos e “homens do trabalho” onde predominava a agricultura.

A Igreja de Nossa Senhora do Calhau foi fustigada por alterosa ondas de tempestade vindas da Costa Sul até que em 1803 um terrível aluvião destruiu grande parte desta Igreja e o assento mudou para Igreja de São Tiago, até hoje o Santo Padroeiro da cidade do Funchal o qual é homenageado anualmente com a procissão com início na igreja que lhe deu o nome e o seu términos na Capela do Socorro.

Atualmente esta Freguesia mantém vários pontos de interesse turístico tais como o Jardim botânico, o Forte de São Tiago construido durante os séculos XVI / XVII para proteger a nossa costa dos piratas, as levadas, os percursos pedestres, o cemitério dos judeus e como ex-líbris o Mercado dos Lavradores, aberto em 1940. Não poderia esquecer o Clube Sport Marítimo, o maior clube das ilhas, nascido e criado no Campo Almirante Reis desta Freguesia.
* excertos da Wikipédia

Juvenal Rodrigues, presidente da Assembleia de Freguesia.