terça-feira, 28 de novembro de 2017

E ASSIM VAI O MUNDO

E assim vai o Mundo

O padre Giselo ficou com uma criança nos braços (é melhor filhos que sobrinhos)

28 NOV 2017 / 02:00 H.
Mal abrimos os olhos para a vida começa o nosso calvário. São as maleitas de criança, os dissabores escolares, a formação, as desilusões de amor, a falta de emprego, a preocupação com os filhos e as preocupações familiares. Chegamos a velhos olhamos para trás e percebemos que nos esquecemos de viver a nossa própria vida. É este o nosso Mundo composto de assimetrias que perduram nos tempos.
Lutamos e morremos por liberdade ilusória que nos foge a cada dia que passa.
Desde um Mundo vigiado por satélites espiões, cidades vigiadas com receio do terrorismo, um planeta refém da poluição, escutas telefónicas, leis que nos oprimem ao ponto de não podermos chamar preto a um preto ou proibição de entrarmos nas cidades com um carro velho porque não temos capacidade financeira para comprar novo. Resta-nos, por enquanto, a liberdade de expressão.
Pobres ou ricos, continuamos reféns do vil metal que corrompe, promove guerras, cobiça, morte e destruição nas mãos de estupidamente ricos que se dão ao luxo de comprar um quadro de Leonardo da Vinci por 380 milhões de euros enquanto outros nem ganham 380€ para alimentar a família. Nem todos poderemos ser ricos mas tanta desigualdade enoja e revolta.
Os Bancos usam e abusam,impunemente, impondo-nos taxas e “taxinhas” sem que haja alguém que ponha termo a esta roubalheira. Já custa muitos euros para ter o dinheiro no banco!
O novo presidente de Angola, João Lourenço, entre tantas exonerações e cancelamentos de contratos públicos declara “guerra” aos poderosos e impede o clã família Santos de assumir cargos públicos talvez porque, tal como outros, não acredita que Isabel dos Santos conseguisse fazer tamanha fortuna a vender ovos. Será que Eduardo Santos fez declaração de rendimentos quando entrou para o poder e quando saiu? As autoridades angolanas questionaram-no acerca da imensa fortuna adquirida em 38 anos no poder? Resta saber se João Lourenço acabará com a alta corrupção em Angola ou será uma cópia reles do seu antecessor.
Nicolas Maduro, tartufo ganancioso pelo poder, lá conseguiu implantar a sua ditadura na Venezuela, afundando cada vez mais o país com as terríveis consequências para a população e fomentando o êxodo dos emigrantes. Ortesa Días, agora no exílio, já pediu a prisão para Maduro por crimes contra a humanidade mas ele, como todos os ditadores, tem costas largas e só deixa a cadeira quando acontecer uma guerra civil.
Em Espanha, Puigdemont sedento de protagonismo e mesmo ciente que o “Sim” nas urnas não ultrapassaria os 25 ou 30% criou um “fait divers” político à volta da independência porque sabe que a Constituição espanhola não o permite. Isto sem falar das consequências negativas para a Catalunha.
Portugal enfrenta agora uma enorme onda de greves que nem se verificava no tempo do aperto da “Troica”. De repente as classes trabalhadores querem que António Costa abra os cordões á bolsa reivindicando, os descongelamentos de carreira que P. Coelho lhes havia congelado. Não obstante, convém não esticar muito a corda!
A TAP, com o habitual descaramento, diz que não está disposta a financiar a mobilidade dos residentes na Madeira. Mas como é que vai financiar se os 86€ cobrados, na hora, ao passageiro já cobrem os custos da viagem? A questão é que se habituaram à mama e já nem querem esperar 2 ou 3 meses para receber o “bonus” (subsídio) pago pelo Governo. As outras operadoras seguem-lhe as peugadas alegando,constantemente, que os preços sobem por falta de lugares mas não se vê nenhuma outra companhia a interessar-se pela linha nem as que estão operam com aviões maior que poderia levar quase o dobro dos passageiros (?) De que serviu a Madeira gastar uma fortuna para ampliar um aeroporto que só recebe aviões pequenos? Vejam se arranjam uma desculpa cabal!
Para consumo interno temos o vice presidente do Governo, Pedro Calado, a prometer tudo fazer para baixar a carga fiscal das empresas. Concordo, mas não o vi preocupado em baixar a carga fiscal dos contribuintes. Enquanto isto, o presidente do Governo, M.Albuquerque, desapareceu de cena e apenas posa para a fotografia em terras do Free State onde, segundo consta, até seguiu na sua comitiva um empresário madeirense falido, com insolvências a decorrer em tribunal, exactamente por negócios (mal) feitos com emigrantes da Africa do Sul.
A disputa entre o líder do PS-M, Carlos Pereira e Paulo Cafôfo, obrigará Emanuel Câmara a pegar novamente no apito para arbitrar este jogo. Será preciso vídeo-arbitro?
O padre Giselo ficou com uma criança nos braços (é melhor filhos que sobrinhos) e a Igreja ficou com uma batata quente nas mãos porque se condenar o padre por incumprimento do celibato ninguém compreenderá que os homossexuais e pedófilos, que proliferam no seio da Igreja, fiquem impunes. A Igreja ultra-conservadora, para mal dos seus pecados, nega-se,teimosamente,a acompanhar a evolução dos tempos!E ASSIM VAI O MUNDO

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

O DESMORONAR DO IMPÉRIO

O desmoronar do império

Será Pedro Calado o salvador ou

26 OUT 2017 / 02:00 H.
Definitivamente, o tristemente famoso império ditatorial que o PSD-M criou à custa de artimanhas, conluio, e trapaças chegou ao fim, acabou! E ainda bem porque regimes com 37 anos, só em ditadura ou fascismo. A alternância pode, por vezes causar dissabores mas é indubitavelmente mais justa. A partir das autárquicas de 2013 os direitos e garantias na Madeira já não são só para quem tem cartão laranja. A população acordou da letargia em que mergulhara, manipulada por aqueles mitómanos pseudo importantes que apenas conviviam com o povo 15 dias antes das eleições mas depois olhavam-nos de soslaio, com desprezo e arrogância. Os eleitores amadureceram e hoje o PSD-M passou a mendigar votos em vez de compra-los com vinho seco e espetada.
O dr. Jardim, timoneiro de um barco que meteu água durante 37 anos sem ele sequer se aperceber, vem, no rescaldo das Autárquicas de 1 de Outubro, pedir a cabeça dos responsáveis pela derrota do PSD sem lembrar que foi ainda no tempo dele que a infernal máquina laranja começou a emperrar e perdeu, de uma assentada, 5 Câmaras. Agora os madeirenses voltaram a mostrar que não cairão novamente no “conto do vigário” ao confiar novamente o destino da sua cidade ou da sua freguesia àqueles que demonstraram governar para as pessoas e não se servir delas. Compreenderam que voltar à era psd seria suicídio político, seria voltar ao confronto sem regras, ao desrespeito pela ALM, à provocação, à prepotência e à dívida escondida. Perceberam que não vivemos apenas do betão e do alcatrão e que os cuidados de saúde, da educação e da justiça social, são os pilares fundamentais do nosso bem-estar. Desde Outubro de 2013 começaram a perceber o verdadeiro significado do poder local, onde se elege os presidentes de Câmara e das Juntas de Freguesia da sua localidade, em separado do Governo Regional. Compreenderam que agora têm autarcas a defender os seus direitos ao contrário de quando o PSD era dono disto tudo, agarrava nas Casas do Povo, Juntas de Freguesia e Câmaras e metia-as nas arrecadações da Quinta Vigia para servir-se delas nas eleições seguintes.
Também já perceberam que o desnorte do atual Presidente do Governo é visível e inegável, está a deixar em estado de choque a sociedade madeirense com tantas e atabalhoadas remodelações governamentais, no mínimo, questionáveis. Dispensou o dr. Eduardo Jesus, um independente que, aparentemente, ousou incomodar o todo poderoso Grupo Sousa, para colocar em seu lugar o Dr Pedro Calado, um amigo da velha escola do PSD-M o qual, a meu ver, poderá no futuro configurar promiscuidade entre o G.R e poderosos lobby da região dos quais faz parte o seu ex- patrão. Coincidência ou não a verdade é que no pouco tempo que mediou a remodelação de Secretários aconteceu que o grupo AFA, dono do Savoy, já foi autorizado, pelo Governo, a aumentar o numero de camas, inesperadamente M. Albuquerque autoriza 24 milhões para retomar o troço da via rápida entre a Raposeira e a Ponta do Pargo e recentemente foi anunciado mais 3.5 milhões para uma nova pista de atletismo no Funchal. Serão estas as prioridades, Sr Presidente, para uma região com evidentes carências? Acredita mesmo que será o seu amigo, Pedro Calado, o super- secretário, capaz de coordenar a estrutura do Governo e salvar um barco a meter água por todos os lados? Acredita num homem que a seu lado na CMF, enquanto responsável pelas finanças, saiu apregoando um saldo positivo de 1,2 milhões de euros quando, na verdade, deixou cerca de 100 milhões de dívida? Será que este homem, agora com super-poderes, é assim tão bom nas contas? Será Pedro Calado o salvador ou o coveiro deste moribundo executivo? Aposto na segunda hipótese já que as grandes mexidas verificadas nesta remodelação, estão a dar lugar, imagine-se, a velhas figuras do jardinismo ao ponto de já se ouvir, em surdina, que não seria de admirar que esteja na forja o ressuscitar da velha FLAMA ou o urdir de uma “quinta coluna” encabeçada por uma marioneta comandada pela velha raposa a partir da Calçada do Quebra Costas. Também ficaremos expectantes a ver se os dispensados, novos deputados na ALM, Eduardo Jesus e Sérgio Marques os terão no sítio para votar contra algumas super-medidas do novo super-secretário.
Não posso terminar sem referir o “casamento” do ano entre PSD-M e CDS. Depois de tanto diabolizarem uma “geringonça” de esquerda eis que, das cinzas das autárquicas, surge uma caranguejola acéfala, de direita, alimentada pelo ressabiamento e maus resultado eleitorais, para ressuscitar uma velha AD de má memória. Em todos estes anos que o PSD-M usou e abusou de maiorias absolutas, escarneceu do CDS, de toda a oposição e até da ALM. Porém, como o CDS já não tem nada a perder não hesitou em oferecer o ombro ao seu inimigo figadal depois de jurar a pés juntos nunca apoiaria o PSD-M. Por agora a caranguejola já funcionou na freguesia de S. Gonçalo e na CMF mas vamos ver o que nos reserva os próximos capítulos até 2019?

terça-feira, 19 de setembro de 2017

UM MAR DE PROMESSAS

Um mar de promessas para as próximas eleições autárquicas de 1 de outubro, deixa-nos extasiados tais as condições de vida que o povo passaria a ter. Por onde andaram todos estes candidatos no tempo de apertar o cinto? O que aconteceu para, de um dia para o outro, esquecerem a terrível austeridade e passarem às ricas promessas de melhor (e merecido) nível de vida? Oferecem livros escolares, devolvem IRS, retiram o imposto DERRAMA, intensifica-se o apoio domiciliário aos idosos, fixam as famílias nos centros urbanos mesmo sabendo do custo, acrescido, das rendas, gratuitidade nos transportes para jovens e idosos, avenidas, ruas, caminhos agrícolas, becos e veredas. Que pena a TAP não concorrer às eleições! Não se lembraram ainda de acabar com o roubo do IMI e do IUC mas ainda vão a tempo já que falta quase um mês de campanha. Já estou com receio que, no meio de tanta bondade, alguns se lembrem de oferecer uma hortazinha para plantar uns pés de liamba para ajuda à subsistência dos mais carenciados. Só falta mesmo oferecerem um voucher, com tudo incluído, para as casas de prazer. Meu Deus, fazei com que eu compreenda certos políticos; então se tudo isto é possível porque não o fizeram mais cedo e mitigavam a fome de crianças em idade escolar e apetrechavam os hospitais com medicamentos e papel higiénico? Cá entre nós, vou-vos contar um segredo mas não se pode divulgar ainda; o povo já descobriu a forma de melhorar as condições de vida e até já reivindica uma alteração à Constituição para que haja eleições todos os anos. Não caro eleitor, não será um desperdício porque enquanto eles perdem tempo com as promessas não lhes fica tempo para pensarem em medidas de austeridade. Uma coisa ainda não percebi mas tenho esperança que eles vão esclarecer; Baixam os impostos e melhoram substancialmente as condições de vida, onde irão buscar o dinheiro que até agora não houve? Que maravilhosos são certos políticos que nos fazem sonhar com tão belo nível de vida! O pesadelo só virá logo após as eleições. Sem ironias e com toda a sinceridade: de todas estas promessas e verborreia só vejo uma coisa positiva e séria, é haver alternância de poder para que todos os políticos se esforcem e não fiquem comodamente sentados na cadeira do poder.
Juvenal Rodrigues 


quarta-feira, 30 de agosto de 2017

" 13 ADVOGADOS DEVEM À CAIXA DE PREVIDÊNCIA "


“13 advogados devem à caixa de previdência”

Lamento que, à luz da legislação, o meu país seja um oásis para a impunidade

29 AGO 2017 / 02:00 H.


Equacionei vários temas para o meu artigo de “opinião” de Agosto: A fatídica árvore que vitimou 13 romeiros ao cair precisamente no dia da Padroeira do Monte no Funchal,a nova guerra fria com troca de estúpidas e perigosas ameaças entre Donald Trump e Kim Jong-Un, a assembleia (des)constituinte na Venezuela ou ainda a maior onda de incêndios que, este ano, flagelou Portugal, porém optei por discorrer sobre uma notícia que mereceu destaque em vários jornais, que me deixou estupefacto e fez manchete no DN Madeira, em meados do corrente, com o título “13 advogados devem à Caixa de Previdência. E continuava relatando que a Caixa de Previdência dos Advogados e Solicitadores (CPAS) está a recorrer à justiça- quanto a mim tarde- para cobrar dívidas num valor que ascende a 351 mil euros à instituição sendo que ,só este ano, 13 advogados foram alvo de processos de execução. Acrescenta que apenas um advogado, na Madeira, acumulou dívida no valor de 106 mil euros e outro processo deu entrada no valor de 101 mil euros. Todavia a nível nacional, segundo o DN Lisboa, a dívida total ascende a 130milhões de euros com tendência a aumentar sendo um dos casos mais graves verificados em Lisboa cuja dívida totaliza 229mil euros. Isto causou-me redobrado repúdio uma vez que a notícia referia profissionais que juraram defender a lei e a justiça.
Não sendo advogado nem solicitador talvez devesse coibir-me de comentar o assunto, porém como cidadão deste pais onde abunda a fraude, a corrupção e o enriquecimento ilícito tenho direito à indignação por constatar que até mesmo aqueles que defendem causas e valores da justiça são, eles próprios, incapazes de manter-se à margem da fraude já que, pelo menos a longo prazo, prejudicarão os colegas cumpridores que, chegada a idade da reforma, de uma eventual invalidez ou de assistência médica encontrarão, provavelmente, uma instituição (CPAS) depauperada (igual S.S.) e sem recursos financeiros para cumprir os seus desígnios. Aliás, este filme não é novo e foi visto na Madeira quando um só empresário acumulou, durante vários anos, uma dívida de 16 milhões de euros à Segurança Social sem que esta conseguisse (?) detectar o infrator atempadamente. Alguém sabe quais as consequências neste e em muitos outros casos? Nunca se poderá julgar uma árvore por meia dúzia de frutos podres mas deixa sempre um alerta. Esta é uma classe que além de ser deve parecer respeitável face ao seu preponderante papel social e deve manter-se acima de qualquer suspeita porque é neles que o cidadão confia para fazer valer a justiça. Os alegados prevaricadores não só desrespeitaram o seu próprio código deontológico como servidores da justiça e do direito como ainda pretendem aproveitar-se, descaramento, de uma prerrogativa da lei que permite a prescrição da dívidas após 5 anos. Pergunta-se; quem será responsável, neste e muitos outros casos em que o nosso país é fértil, por uma dívida não detetada em tempo útil que no caso referido acumulou durante 20 anos? A quem compete castigar estes casos que embora num quadro de moldura penal, poderá não ser classificado como crime mas poderá configurar dolo uma vez que alguns estarão, eventualmente, a enganar os seus colegas em proveito próprio. O artº 2º, do regulamento da CPAS, ponto 2, é explicito quando refere que em matéria de organização e cadastro a Caixa colaborará estreitamento com a Ordem dos Advogados e a Câmara dos Solicitadores podendo, com estas instituições, estabelecer acordos de interesse comum, logo poder-se-á inferir que a Ordem e a Câmara de Solicitadores, se não tinham, deveriam ter conhecimento desta situação, que já se arrasta há vários anos, e deveriam ter agido em conformidade.
Lamento que, à luz da legislação, o meu país seja um oásis para a impunidade onde a maioria dos prevaricadores são inimputáveis.


Comentários:
  • Começa por dizer que talvez se devesse coibir de comentar mas não resiste!! Comenta e revela que até se deu ao trabalho de ler os artigos do regulamento que lhe servem para defender a sua ideia. Comenta e revela que não sabe do que fala. Porque esquece os solicitadores? Quem lhe pagou o comentário? Vivemos em democracia e por isso todos temos direito a apresentar a nossa opinião, mesmo a mais idiota. E assim andou! Não sabe mesmo do que fala e devia ter-se coibido de falar sobre o que não conhece. Já agora os advogados e solicitadores são pessoas e como tal enfrentam problemas como qualquer cidadão e defendem a lei e a justiça e também lutam pelos seus direitos. Espero que brevemente se encontre face á aplicação de uma lei injusta ou abusiva e precise de um advogado ou solicitador que o defenda. Pode sempre optar por escolher outrem que opine, também, com a sua estultez e ignorância.
      • Imagem
        Há muitas árvores sãs em todas as áreas da nossa sociedade o pior são os frutos podres que vão proliferando sempre em maior quantidade. Tem razão quando afirma que não se pode julgar uma árvore pelos seus frutos podres, felizmente que ainda temos sérios e bons profissionais no nosso país.
          • Imagem
            Com tanta dúvida sobre o tema, acho que escolheu bem. O tema da árvore já satura porque não resolve nada. Parabéns pelo texto! 
            O mais provável que aconteça é que esses 13 advogados metam uma ação contra o Estado Português por violação dos direitos determinados e previstos no Cód. Civil, designadamente, o direito à inviolabilidade moral, ao bom nome, reputação e ainda à privacidade.
            No fim são indemnizados e ressarcidos do dinheiro que devem, ou seja, fica tudo em águas de bacalhau.
            Neste País toda a gente tem o direito de dever dinheiro, desde que ninguém saiba.

            terça-feira, 15 de agosto de 2017

            A TRAGÉDIA DO ARRAIAL DO MONTE NA MADEIRA

            15 de Agosto de 2017

            Perante tamanha tragédia no arraial do dia da padroeira do Monte dei comigo a meditar que este triste acontecimento, não deixa de ser caricato(do ponto de vista do simbolismo que em si encerra) e se não abalará a fé de tantos cristãos que ali vão pagar as suas promessas por braços, cabeças ou pernas partidas ou ainda por uma doença grave e acaba por ficar tantas vidas, tantos braços e pernas partidas debaixo de uma árvore. Os cristãos, fieis à sua crença, dirão que nossa Senhora sabe o que faz e que os pobres pecadores ainda mereceriam mais pelos pecados deste Mundo e outros dirão que foi uma provação divina para testar a fé dos crentes!
            Ante tal controvérsia quedo-me apenas por apresentar o meu profundo pesar pelas vítimas nesta trágica festa deste trágico dia e endereço condolência a todos os que perderam os seus familiares.
            Ás 18 horas do dia 15 de Agosto de 2017
            , dia da festa, estavam confirmadas 12 vítimas mortais e 50 feridos.
            Nota: Uma referência e uma preocupação já que os meses de Agosto começam a ser bastante penosos para esta pequena ilha, foram os incêndios de Agosto do ano passado e agora esta tragédia novamente no mês de Agosto. 

            quarta-feira, 9 de agosto de 2017

            A ROTA DO OURO

            É um autentico filão de ouro esta rota Madeira/Continente/ Madeira que a TAP descobriu. Já várias vezes escrevi, assim como vários madeirenses para denunciar esta aberrante exploração. De nada serviu até agora porém jamais deixarei de me repetir seguindo o velho adágio popular “agua mole em pedra dura tanto bate até que a fura” .Tenho esperança que um dia alguém responsável desperte do marasmo e acabe com esta vergonhosa exploração onde um passageiro com bilhete corrido entre Madeira/França, com escala no Porto, tendo o trajeto entre Porto e Paris uma distância de 1.213km custe metade do preço de uma passagem Madeira/Porto, distância1.197km. Já em 13.01.2008 numa “Carta do Leitor” intitulada, “mais um “porco” escrevi que no regresso de Canárias, num voo da SATA, em conversa com um comissário de bordo perguntei-lhe se não haveria hipótese desta companhia ter a RAM como parceira de negócios ao que ele me respondeu; “isso apenas depende da vontade política. Acreditei na altura e cada vez mais me convenço que além da falta de vontade política junta-se também a ganância dos grandes “lobbys” financeiros dos quais cada vez mais dependemos. Vejamos; segundo explicações das transportadoras o preço das passagens sobe exponencialmente no Natal, na Pascoa e no Verão porque, existe muita procura nessas alturas o que faz o preço das passagens disparar. Então se existe assim tanta procura porque mais nenhuma companhia se interessa por esta linha? Algo está mal explicado! Continuo a acreditar que uma parceria entre a SATA e a RAM para exploração desta linha tenderia a acabar com esta vergonhosa exploração. Em último caso não seria de excluir a hipótese de fretamento de aviões para transporte de passageiros entre Madeira e Continente. Para grandes males grandes remédios e assim as companhias teriam uma séria concorrência que as obrigaria a acabar com este “roubo”. A verdade é que mesmo depois de vários madeirenses, Hoteleiros e G.R terem denunciado esta exploração nada mudou no custo total entre a Madeira e o Continente e acredito que nada vai mudar se não houver forte determinação do G. Regional em tomar medidas extremas a fim de resolver esta vergonha.Esta solução não é viável? Então expliquem porquê de modo que todos compreendamos.
            Juvenal Rodrigues 

            Comentarios no DN


                  • Os politicos hoje resolvem os problemas mandando-lhes com dinheiro para cima, é a maneira mais fácil, não dá qualquer trabalho e como o dinheiro não é deles vão andando.
                    O caso do preço dos bilhetes foi mais um resolvido da mesma maneira, se os preços são caros nós subsidiamos, mas, depois estamos todos a pagar, mesmo os que não viajam e quem viaja tem que arranjar dinheiro para pagar o bilhete, para depois receber o reembolso.
                    Se quando a TAP era publica nunca resolveram o problema agora que é privada a solução fica mais complicada mas há outras alternativas, mas, claro que dá trabalho a negociar, não haverá outras companhias low cost interessadas ?


                      • Imagem

                         

                        Segundo o texto, no qual eu acredito, poderá haver soluções mas vão de encontro aos grandes lobbies e à falta de vontade do G.Regional que tem por obrigação envidar esforços tentando apurar porque as outras companhias, apesar da falta de oferta, não se interessarem por esta linha. Já se tentou a solução da parceria da região com a SATA? está posta de parte? Porquê?


                        • Imagem


                          Quem controla a TAP é o governo da república - a geringonça de esquerda - e por isso reverteram a privatização.
                          Como não podem injectar o capital que a TAP necessita - porque a UE não permite - vão-nos ao bolso.
                          Mas é um roubo de esquerda, é bom!!!
                          Votem em geringonços!!!!


                            • Imagem

                               

                              És um triste !!


                                • Imagem

                                   

                                  Este senhor atento parece que está sempre desatento ou então é um doente ideológico que , confunde tudo com esquerda e direita. Para ele apenas conta ideologias partidárias mesmo que lhe estejam a ir ao bolso. Quem é que vai injectar o capital na TAP, o Zé pagode? de onde sairá o capital a ser injectado, do Zé pagode? A solução não passa por aí mas sim evitar que estes chulos nos esfolem com preços de passagens escandalosos!. Percebeu ou é preciso um desenho? Tire a venda dos olhos!


                                    • Imagem

                                       

                                      Se a TAP fosse apenas de privados, quem teria que injectar capital seriam os privados.
                                      Como o controlo é público e a UE não permite "ajudas de estado", a solução é aumentar o preço dos bilhetes aos residentes na Madeira e Açores que, como têm direito a reembolso do estado (por acaso...), acaba o estado a injectar capital na empresa.
                                      Como eu sei que esta explicação é de difícil percepção para si, estou disponível para fazer-lhe o desenho e enviar-lhe pelo correio.
                                      Qual é a sua morada?


                                        • Imagem

                                           

                                          Sr atento, não vale a pena dar-lhe a morada porque por aquilo que vejo o sr não tem explicação. Acha que os privados tiram o dinheiro do bolso para injecta-lo na TAP, na EDP ou nos bancos ou vão ao bolso do cliente/contribuinte? Se ainda acredita no pai natal veja outros casos como os CTT depois de ser privatizado que ficou mais caro e pior serviço. Havia mais exemplos mas não cabe aqui. Aconselho-o a ler novamente o texto porque é de fácil compreensão e então discuta o tema. Não discuta partidos quando se fala em defender a população. Os partidos seja de esquerda ou direita andam todos ao mesmo, a caça ao voto.